Primeiras semanas: como eu queria ter sabido.

Primeiras semanas: como eu queria ter sabido.

with Nenhum comentário
· Reading Time: 2 minutes

Não adianta. Antes da chegada do bebê semanas, meses, ou mesmo antes de engravidar você vai ler, conversar e tentar saber o máximo sobre como é cuidar do mais novo membro da família.

Mas, por mais que você se prepare, é muito provável que, assim que o bebê nascer, você descubra coisas que não esperava, tanto em termos práticos como emocionais.

A seguir, mães compartilham o que gostariam de ter sabido sobre as primeiras semanas após a chegada do bebê. Mas lembre-se: cada bebê é de um jeito, e cada mãe reage à sua própria maneira. Não faltarão surpresas.

“Gostaria de ter sabido a forma correta de amamentar, se possível em um vídeo detalhado, porque no dia que minha filha nasceu não consegui amamentar. Foi só no dia seguinte que a pediatra me ensinou.”

“Que amamentar dói e machuca nos primeiros dias.”

“Gostaria de ter sabido como ensinar o bebê a dormir sozinho e desfrutar do quartinho que foi feito com tanto carinho. Meu filho está com 1 ano e não dormiu lá uma noite sequer.”

“Que alguns bebês não dormem, e que isso é de enlouquecer.”

“Que temos sempre que aproveitar o soninho deles para poder descansar também!”

“Que iria ficar tanto tempo sem dormir uma noite toda.”

“Como identificar as cólicas e gases e como aliviar a dor.”

“Gostaria de ter sabido mais sobre o umbigo. O do meu filho caiu com 7 dias, mas sangrava às vezes. Quando eu ia trocá-lo tinha sangue seco em farelinhos. ”

“Gostaria que tivessem me dito como seria difícil decifrar os tipos de choro.”

“Eu gostaria de ter sabido que, mesmo depois de arrotar, alguns bebês podem regurgitar, mesmo tendo passado um tempo desde a última mamada. Levei um susto enorme na primeira vez que isso aconteceu!”

“Como saber quando o bebê está com frio ou com calor.”

“Que o mundo infantil de repente entraria na minha vida e o adulto pareceria que tinha sumido. Passava o dia todo com o bebê e à noite nem sabia direito o que conversar com o meu marido que não fosse papo de filho.”

“Que muitas vezes me esqueceria de mim e me dedicaria 100 por cento ao bebê (nisso se encaixam as refeições apressadas, os banhos mais ou menos…).”

“Que mesmo que você não se sinta preparada para ser mãe ou tenha medo (eu tinha muito medo), quando nasce um bebê também nasce uma mãe, então o medo passará.”

Se você foi pega de surpresa também, procure se consolar, já que acontece com todo mundo. Podemos ajudar você com algumas orientações. No mais, procure o apoio do pediatra, da família e, se tiver dificuldades com a amamentação, com o banco de leite mais próximo da sua casa.

Fonte: babycenter

Deixe uma resposta