Como brincadeiras ajudam a desenvolver os 5 sentidos do bebê.

Como brincadeiras ajudam a desenvolver os 5 sentidos do bebê.

with Nenhum comentário
· Reading Time: 7 minutes

Atividades rotineiras como brincadeiras, troca de fraldas e alimentação são grandes oportunidades para desenvolver em seu bebê os cinco sentidos (audição, visão, olfato, tato e paladar) e, consequentemente, sua compreensão da vida. Veja a seguir como tirar proveito de cada momento.

Quando devo começar a estimular os sentidos do bebê?

Os sentidos do bebê são estimulados desde o comecinho, lá na sua barriga. Mesmo antes de nascer, o bebê está sintonizado à sua voz e a outros sons cotidianos, sente seus movimentos e até experimenta os alimentos que você come.

Quando finalmente chega ao mundo, reconhece sua voz e seu cheiro, e é instintivamente atraído por ambos. Seu bebê vai amar ouvir e ter você por perto, especialmente através de contato pele a pele, um verdadeiro calmante.

Bebês são também conversadores natos, mesmo que ainda não possam falar com palavras. Recém-nascidos têm grande atração por rostos e, muitas vezes, tentam imitar expressões faciais como meio de comunicação.

Faça um teste com seu filho. Tente mostrar a língua ou abrir e fechar a boca. É possível que você se surpreenda com uma imitação das boas. E, mesmo que ele pareça não corresponder, tenha certeza de que ele está adorando a atenção. Esse é apenas o começo de uma longa vida de conversas entre vocês dois.

O que fazer para desenvolver os sentidos do bebê?

Cuidar das necessidades básicas do bebê geralmente consome grande parte do tempo, mas isso não quer dizer que você não possa estimulá-lo através de atividades rotineiras que já fazem juntos de qualquer jeito. Confira abaixo algumas sugestões:

  • Quando o bebê estiver deitado no berço, no carrinho ou em um tapete de atividades, tente dar a ele objetos interessantes para olhar e tocar. Posicione-o também em diferentes lugares da casa, para que tenha diferentes perspectivas.
  • Procure colocar o bebê para brincar de barriga para baixo ao menos três vezes por dia (sempre sob vigilância). Com o tempo, você pode aumentar gradualmente a duração das sessões até ele passar cerca de uma hora de bruços por dia. Essa atividade ajuda a fortalecer a musculatura do corpo.
  • Quando ele crescer um pouco e se tornar mais fisicamente ativo, deixe-o de vez em quando em locais seguros em que possa praticar rolar de um lado para o outro, engatinhar e escalar obstáculos como almofadas.
  • Procure conversar com o bebê sobre o que estiver fazendo, mesmo que esteja apenas mexendo em papéis ou preparando o jantar. Se perceber que o bebê está curioso com alguma coisa, fale, descreva, demonstre. Ele estará muito mais propenso a aprender nesses momentos de curiosidade espontânea, do que se você quiser “ensiná-lo”.
  • Ao trocar a fralda, descreva o passo a passo, como, por exemplo, “agora a mamãe vai passar a pomada para cuidar do seu bumbum”. Deixe o bebê segurar o pacote do algodão, a caixa dos lenços umedecidos ou uma fralda limpa para sentir as diferentes texturas.
  • Enquanto o bebê mama, acaricie suavemente as costas dele e faça contato visual para estreitar o elo emocional entre vocês. Uma vez que ele comece a ingerir alimentos sólidos, descreva os sabores e as texturas, e deixe que ele explore a comida com as mãos. Pode ser que o resultado seja um pouco de bagunça e sujeira, mas quase toda criança adora se lambuzar ao comer.
  • Incentive seu filho a explorar brinquedos de formas maneiras, seja sacudindo, batendo, empilhando ou sentindo um objeto junto ao rosto. Dê muitos parabéns toda vez que ele conseguir entender como um novo brinquedo funciona.
  • Transforme a hora do banho em um momento de diversão e aprendizado. De uma maneira simples, dá para ensinar o que é afundar e boiar, quente e frio, molhado e seco. Mostre ao seu bebê como a água flui entre diferentes objetos e o incentive a explorar isso com copos, esponjas e garrafas.

Atividades sensoriais para o dia a dia

Visão

A observação de expressões faciais e comportamentos tem um papel crucial no desenvolvimento das habilidades sociais de toda criança. Entre 2 e 4 meses, o bebê começa a fazer contato visual e sorrir, “conversar” ou gesticular. A maneira como você responde a esses pequenos sinais vai ajudar seu filho a entender sobre si mesmo, além de reforçar a conexão entre vocês.

Outra habilidade que se desenvolve nesses primeiros meses é o controle da cabeça e dos olhos. Esse é um passo essencial para acompanhar objetos em movimento, como os de um móbile. Você pode também ajudá-lo a treinar essa coordenação movendo lentamente um brinquedo através do campo de visão do bebê e incentivando-o a acompanhar para onde vai. O passo seguinte será ele tentar pegar com as próprias mãos.

Tato
O bebê usará o tato para entender formas e texturas de tudo a seu redor. Até cerca de 7 meses de idade, dedos e mãos não serão suficentes para ajudá-la nesta tarefa, então ele vai usar muito a boca como complemento.

A partir de mais ou menos 5 meses, o bebê começa a se esticar para tentar pegar objetos. Você pode incentivar colocando um brinquedo em seu campo de visão, mas fora de alcance. Observe como ele se agita, se espicha ou rola em direção ao objeto, para tentar pegá-lo e apalpá-lo.

Acariciar e massagear suavemente o bebê é uma maneira gostosa de se valer do seu tato para acalmá-lo e tranquilizá-lo.

Audição
Bebês não só reconhecem a voz da mãe desde o nascimento como também rapidamente passam a perceber mudanças na maneira e no tom de falar. Seu filho vai ser mais receptivo e responder melhor a um tom de voz feliz do que a um tom neutro ou triste.

Tenha em mente também que toda vez que você fala o bebê está escutando e aprendendo diferentes sons, ritmos e padrões de conversa. Ao dizer alguma coisa, dê a ele depois a chance de responder com um sorriso, um murmúrio ou uma risada. Reaja de volta. Isso demonstra que você está interessada no que ele diz e ajuda no desenvolvimento da linguagem e da compreensão.

Quanto tempo devo passar me concentrando no meu bebê?

O tempo que um bebê consegue prestar atenção é bem mais curto do que o de uma criança mais velha ou de um adulto, e ele pode rapidamente ficar irritado e cansado pelo excesso de estímulos. Alguns sinais de a brincadeira já deu o que tinha que dar incluem:

  • Coçar os olhos
  • Desviar o olhar
  • Chorar ou se agitar
  • Arquear as costas
  • Fechar os olhos ou pegar no sono

Quando você achar que ele já teve estímulo suficiente, dê uma pausa tirando brinquedos do alcance e apenas o segurando ou cantando baixinho. Se ele parecer cansado, tente colocá-lo para tirar uma soneca.

Não se preocupe em criar um tempo pré-determinado para brincar ou realizar atividades “educativas” todos os dias. Quando o bebê está calmo, fazendo contato visual, movendo os braços e pernas e balbuciando, ele provavelmente está pronto também para se divertir e aprender. Esses sinais geralmente aparecem nos momentos pós-mamada e soninho.

Atividades em grupo ajudar a estimular o bebê?

Acredite: as atividades rotineiras entre você e o bebê, como “conversar”, fazer caretas, cantar, ler histórias e explorar objetos, são riquíssimas fontes de estímulo para seu filho.

Depois, conforme ele crescer, e se não estiver frequentando escola ou creche, você pode considerar levá-lo para participar de alguma atividade mais formal em grupo, como aula de iniciação musical. Embora as crianças não brinquem entre si até mais ou menos 2 anos e meio, participar de atividades em grupo traz outros benefícios.

São, por exemplo, uma ótima maneira de você conhecer outras mães e encontrar futuros colegas de brincadeira para seu bebê, além de excelente oportunidade de fazer você sair de casa e estimular seus próprios sentidos de mãe. Uma mãe feliz e revigorada é sempre uma melhor companhia para o filho.

Só não se esqueça de que bebês se desenvolvem em ritmos diferentes, cada um do seu jeito e a seu tempo. Se o seu filho não conseguir fazer as mesmas coisas que as outras crianças de idade semelhante não significa que há algo errado com ele ou que ele não está gostando das interações. Por outro lado, no caso de dúvida ou preocupação específica com atrasos no desenvolvimento, sempre vale a pena conversar com o pediatra na próxima consulta e expressar seus receios.

Fonte: babycenter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *